Giuliano Metelski


giuliano.metelski@jornalcaicara.com.br
Colunas
Não há, na formação do psicólogo, absolutamente nada que o autorize a agir como polícia ou padre. Faço esta afirmação no intuito de zelar pela profissão, na medida em que eu mesmo já ajudei na formação deles. Naturalmente, constato que fracassei em muitos casos. É inadmissível que psicólogos propaguem discursos de ódio, que façam palanque em nome da moral. Ora, na verdade, isto é vedado a eles, no exercício da profissão, conforme o código de ética: “I. O psicólogo baseará o seu trabalho no respeito e na promoção da liberdade, da dignidade, da igualdade e da [...]
Em chinês 1 se escreve assim. Isso não é pouco, tratando-se de escrita, tanto porque, se é uma, alguém a escreveu. Para passar ao um é necessário contá-lo como tal, um 1, o que, obviamente, dá dois, isto é, não se trata somente de traço. Descartes, em seu cogito, escande isso, justamente onde é. Penso logo: sou. Escreve Lacan, alterando a pontuação, ao comentá-lo. Ora, esse, logo sou, é um pensamento. O que aí se inaugura no cogito é justamente o campo da ciência, eludindo o sujeito, e assim, criando as condições para a psicanálise aparecer. Ela não poderia surgir em [...]
Conheci muitos psicólogos, e naturalmente, quando o assunto a ser tratado começa a ser discutido vemos surgir muitas diferenças. Isto é bem vindo, saúdo a discussão de ideias. Um aristotélico, há um que não seja? Não pode, no entanto, sucumbir à contradição, eis um princípio de lógica. O Conselho Regional de Psicologia do Paraná, onde era inscrito, divulgou há poucos dias uma nota de repúdio a uma propaganda da loja marisa, onde julgaram tratar-se de um aviltamento da profissão, uma boba alusão que a roupa fazia à figura da psicóloga. Vi colegas comprarem essa briga, e [...]

Carregando...