Maria Daluz Augusto


lulu@jornalcaicara.com.br
Colunas
Ano XVIII – Maio/1971 – Número 204   Para o meu sobrinho ler mais tarde “Não quero que leias hoje esta crônica. Mas sim, quero que leias mais tarde, bem mais tarde. Alfonse Daudet ao escrever Safo, pôs-lhe como dedicatória: “A meus filhos, quando tiverem vinte anos”. Mas eu peço para muito depois, quando te vierem os cabelos brancos e eu for apenas uma lembrança no teu espírito, uma sombra no teu coração. Então Augustinho, toma esta página e lê. Lê aqui o contido carinho, a minha dedicação em pura essência, o perfume que te pude deixar. Que isto, ao [...]
Ano XII – Fevereiro/1971 – Número 202   Em minha viagem este mês a Santos, São Vicente, Rio de Janeiro e São Paulo, pude sentir de perto o carinho com que são tratadas as pessoas que labutam na imprensa. Ao se apresentar as credenciais, todas as portas são abertas e não se vencem os convites que então nos são formulados. Prova isso minha visita à TV Tupy Rio, à fechadíssima Sede do Fluminense, às rádios Nacional e Tupy e ainda à TV Globo. Na portaria da Sede do Fluminense nas Laranjeiras, as portas se abriram ao apresentar as minhas credenciais. Tudo me foi mostrado, [...]
Ano XII – Dezembro/1969 – Número 189 Sara Pimpão Marcondes – Amazonas Marcondes Filho, 8-12-1909 – 8-12-1969 Em cada lar existe ou existiu sempre uma rainha. Aquele Anjo de ternura e de bondade que se denomina, quando merece: “o coração da Família”. A mãe lega o nome à sociedade conjugal. Ela é a criatura que realiza milagres num trabalho escondido. Morre um pouco, cada vez que um dos seus sofre. A mãe verdadeira, o anjo que com seu bom exemplo lega seus filhos o que ela tem de melhor. Tudo dá de si, omite-se, vivendo somente para o lar. Heroínas [...]

Carregando...