Qualquer desatenção pode ser a gota d’água

Qualquer desatenção pode ser a gota d’água

1 de março de 2019 // 0 Comments

Em minha crônica anterior mencionei alguns bairros, ruas e locais que visitei a alguns dias em São Paulo. A melhor maneira de conhecer uma cidade é andando a pé e é claro que também com roteiros prévios. Foi assim que estive, por exemplo, no Bar do Goés, na Barra Funda. O bar, um clássico expoente dos mitológicos pés sujos, fica bem próximo do apartamento de Nina Rosa, que o frequenta habitualmente e lá me levou. O cardápio contem desde comidinhas veganas até clássicos como [...]

Alguma coisa acontece no meu coração…

22 de fevereiro de 2019 // 0 Comments

  E não é apenas, como disse nosso Caetano Veloso, quando cruzo a Ipiranga e a São João, mas quando estou em São Paulo. E desta vez essa sensação, ou esse sentimento, se misturou com a saudade. Saudade de minha filha Mayara, que de 2015 a julho de 2018 morou em São Paulo e hoje vive em San Francisco, na Califórnia. Mayara me reapresentou ao Itaim Bibi, onde eu ia em meados dos anos 80, quando tinha uma loja de roupas, a Estilo. Depois que Mayara foi embora, estive por outras duas [...]

Sozinho no cinema

9 de fevereiro de 2019 // 0 Comments

Nunca havia pensado na primeira vez que fui sozinho ao cinema. Lendo o mais recente livro de Paul Auster, o monumental 4 3 2 1, fui pensar nisso, já que em determinado momento da narrativa, o personagem central que sempre ia ao cinema com sua mãe, vai pela primeira vez sozinho. Fiz um exaustivo esforço de memória para tentar resgatar essa minha primeira incursão sozinho a um cinema. Tive que rememorar minhas primeiras idas ao cinema, ora com minha mãe, que era cinéfila como eu, ora com [...]

Tua cor é o que eles olham: velha

25 de janeiro de 2019 // 0 Comments

Relutei em voltar a falar de política partidária aqui neste espaço, mas diante dos absurdos, dos impropérios que tenho ouvido, é impossível me resignar ao silêncio. Para dar título a essas mal traçadas linhas, me aproprio de frase da mais que nunca emblemática canção de Beto Guedes, Feira moderna, em que ele diz: tua cor é o que eles olham, velha. Velhos são esses conceitos, que muito mais que preconceitos, flertam com a insanidade, como esse da tal pastora evangélica, Damares [...]

Com as Rosas não falei

21 de dezembro de 2018 // 0 Comments

Se na bela canção de Cartola, as rosas não falam, posso dizer que com as Rosas não falei. E o fiz, ou melhor, não o fiz, por excesso de timidez e por uma profunda insegurança que acometia, creio que, a maioria dos meninos de minha geração, pelo menos meus amigos. A primeira dessas Rosas foi Rosemarie Deiling. Estudávamos juntos no Externato Santa Terezinha e se minha memória ainda não começa a me trair, em 1968, quando ambos cursávamos o antigo 4° ano primário, certo dia, minha [...]

Bom dia tristeza I

14 de dezembro de 2018 // 0 Comments

Há 50 anos, mais especificamente, no funesto dia 13 de dezembro de 1968, o então presidente da República, General Costa e Silva editava o AI 5 e endurecia de vez a ditadura militar, resultando em diversas cassações de mandatos de parlamentares, entre os quais o do deputado Marcio Moreira Alves, que havia feito um duríssimo pronunciamento na Câmara Federal, criticando as medidas de exceção daquele governo. Olhando para trás, somos de imediato remetidos aos dias de hoje, quando estamos [...]

Beat a geração dos desvalidos

23 de novembro de 2018 // 0 Comments

Escrevi esse texto em novembro de 1984. Ele foi publicado em minha coluna no Jornal Caiçara e também no jornal, Canto Geral, do Diretório Acadêmico da FAFI, hoje Unespar. Como agora em San Francisco, vi de perto lugares e coisas da Beat Generation, decidi republicar o texto, o único antigo, que deverá fazer parte de meu livro, Breves histórias. Foi com Jack Kerouac, o enfant terrible da Geração Beat, com seu livro On The Road, lançado no Brasil, em fevereiro de 1984, pela Editora [...]

Autumn leaves

16 de novembro de 2018 // 0 Comments

Estive a alguns dias na Califórnia, mais especificamente, em San Francisco, onde fui para o casamento de minha filha, Mayara. Estive também em Berkeley, onde Mayara faz mestrado em Direito, na prestigiosa Universidade daquela cidade. Passei por Oakland, San Mateo, por algumas de suas belas praias, como San Gregório, Half Moon Beach e Pescadero, onde foi a festa de casamento de Mayara e Bradley. Terminei a viagem em Los Angeles. Em San Francisco ao me deparar com as calçadas cobertas por [...]

Tristeza, perplexidade e vergonha

26 de outubro de 2018 // 0 Comments

Neste domingo o Brasil, ou melhor, os brasileiros, decidem se continuam na rota civilizatória ou retornam à barbárie da Idade Média. Vejo com tristeza e profunda decepção conhecidos e amigos, muitos dos quais jamais haviam se pronunciado politicamente, sem sequer emitir uma única opinião a respeito dos rumos da política partidária brasileira, agora passar, num piscar de olhos, da alienação para o engajamento, da letargia para um estado de hiperatividade. Esse engajamento em uma [...]

Como esquecer…

5 de outubro de 2018 // 0 Comments

… Ou como deixar de lembrar de Sol Kasteller, que em uma fria noite de inverno, subiu ao palco da Ceva do Brandina e tomou o microfone, como se ele fosse uma extensão de suas mãos e cantou, Lately, a belíssima canção de Stevie Wonder, na versão feita para Gal Costa. Solé, como eu a chamo, cantou divinamente parecendo ter encarnado a voz da Diva. Solé não tema os inquisidores. Eles jamais a colocarão em suas fogueiras, eu estarei ao seu lado e como o Plácido, me transformarei no [...]
1 2 3 7
Carregando...