Autoritarismo nunca mais

Autoritarismo nunca mais

23 de junho de 2018 // 0 Comments

Durante os protestos dos caminhoneiros verificados nos últimos dias de maio, com o apoio da maioria da população, assistimos perplexos, algumas reivindicações solicitando uma intervenção militar. Isso só poderia acontecer mediante a ruptura constitucional e, portanto, com a volta de um regime ditatorial. Aqueles que conclamam a volta do militarismo, talvez ao contrário de uma curta memória, ignorem o sistema educacional proporcionado pelo regime militar, que privilegiou disciplinas [...]

Ditadura nunca mais

25 de maio de 2018 // 0 Comments

Acabei de ler o livro Ainda estou aqui, de Marcelo Rubens Paiva. Minha intenção era a de ler o mais recente livro desse autor, Gorila marxista, objeto da última coluna de meu amigo Caio Bona Moreira, no Jornal Caiçara. Foi Caio quem me sugeriu a leitura de ambos. Eu já havia lido outros livros de Marcelo Rubens Paiva, de quem também li suas sempre ótimas crônicas. No jornal Estado de São Paulo, durante o período em que assinei esse diário. Ainda estou aqui, além de narrar a [...]

Tempos líquidos

4 de maio de 2018 // 0 Comments

As ruas vão e vem… … os passos que eu deixei, desenhei no chão, apaguei. Andei em vão, quantas esquinas guardei dentro de mim, quantas histórias não tem fim… as ruas somos nós… Esse é um trecho da canção As ruas, do jornalista, escritor e compositor Luis Nassif. Sempre que a ouço sou remetido à rua Barão do Cerro Azul e seu entorno, onde cresci. Há uns três domingos, caminhando pelas imediações da Barão do Cerro Azul, mais uma vez me dei conta das [...]

O Brasil está doente

13 de abril de 2018 // 0 Comments

Durante o mês de março passei cerca de 15 dias em São Paulo, e, ao longo desses dias fui ouvindo coisas que atestam que parcela de nossa população sofre de um mal, que eu achava estar adormecido, mas ao contrário, continua muito vivo. Seu nome: Fascismo. Cabe salientar que ao retornar, primeiro para Curitiba e depois para União da Vitória, o fascismo continuou a permear meus dias, nas ruas e principalmente, nas redes sociais. Ainda em São Paulo, tomei um Uber para ir a uma loja de [...]

Cine Luz: Um dia foi um palco iluminado

9 de março de 2018 // 0 Comments

Em 1950, formou-se uma sociedade sob a denominação social de “Empresa Cine Diversões Ltda”. A sociedade tinha por objetivo explorar o ramo cinematográfico, podendo ampliar suas atividades para o setor teatral. Localizado na rua Carlos Cavalcanti, foi inaugurado em 06 de junho de 1951. Na época, eram realizadas sessões noturnas diárias e matinês aos domingos, o que tornou o cinema o mais importante ponto de encontro das cidades. Fechando temporariamente devido às dificuldades de [...]

Alma tricolor

23 de janeiro de 2018 // 0 Comments

Além de gostar, nunca esqueço a canção de 1973, de Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós, intitulada Agora é Portela 74, na qual os autores, certamente, portelenses, após a Portela ter perdido o Carnaval de 1973, compuseram a emblemática canção, que diz: vamos mudar esse placar final. Ouvi essa canção a exaustão em 1974, após meu Fluminense ter perdido a final do Campeonato Carioca daquele ano para o Flamengo. Lembro com clareza que o que eu mais queria era mudar aquele placar [...]

Trevas nunca mais

16 de dezembro de 2017 // 0 Comments

No final de novembro passei alguns dias em São Paulo, na casa de minha filha Mayara. Entre algumas atrações artístico-culturais, como o Projeto Notas Contemporâneas, no Museu da Imagem e do Som – MIS, com m João Bosco, a peça de teatro Selvageria, de Felipe Hirsch, no Teatro do SESC da Vila Madalena e o Tributo a Thelonious Monk, no Festival de Jazz de São Paulo, também garimpei velhos discos de vinil em lojas especializadas nas antigas bolachas. Já havia ido na Erik Discos, em [...]

Despedidas são sempre tristes

18 de novembro de 2017 // 0 Comments

  No final da tarde desta segunda-feira  fui dar uma corrida na pista de atletismo do Estádio Municipal. Após percorrer os habituais 4 km, fiz mais alguns exercícios em casa. Tomei um banho, fui jantar e como não corria há seis dias me senti cansado e com sono. Por volta das 21h30, fui para o quarto, coloquei um de meus três colírios e acabei cochilando. Acordei uma hora depois, li um pouco e dormi bem mais cedo do que de costume. Passo por um de meus períodos de insônia e embora [...]

Os mitos nunca morrem

10 de novembro de 2017 // 0 Comments

  Conheci Saul Trumpet no final dos anos 80, início dos anos 90, em seu mitológico Bar do Saul, em Curitiba, frequentado por artistas, intelectuais e por todo e qualquer representante da alta boemia, que nas frias madrugadas daquela cidade após a jornada de trabalho lá iam para ouvir músicos como Saul e outros da melhor qualidade. Em 2011, acompanhado de minhas filhas, Nina Rosa e Mayara, fui ao Restaurante e Galeria de Arte Alberto Massuda. Quando chegamos ao local ouvimos uma [...]

Tempos sombrios II

20 de outubro de 2017 // 0 Comments

Como adotei o viés memorialístico nesta coluna, não costumo abordar assuntos da atualidade. Contrariando essa premissa, em minha crônica anterior me utilizei do livro Ventania, de Alcione Araújo, para construir uma analogia com os tempos sombrios que vivemos, em que os conservadores, reacionários ou neofascistas, se preferirem, vão atuando como censores e propagando a candidatura do misógino, homofóbico e defensor da tortura, Jair Bolsonaro;Como adotei o viés memorialístico nesta [...]
1 2 3 5
Carregando...