O avião é uma ave grande?

O avião é uma ave grande?

18 de Maio de 2018 // 0 Comments

Etimologicamente sim. É um termo importado do francês avion, surgido antes que os aviões voassem. Juntou-se o substantivo latino avis, que significa “ave”, ao sufixo –on. Como em tantos outros termos, o sufixo “-ão” indica uma grande proporção ou intensidade. Vem bombando na internet o vídeo de uma americana, aprendiz da língua portuguesa, queixando-se das flexões, em gênero e número e a derivação em grau, dos adjetivos. Não bastando ter que aprender que existem [...]

Não temos nenhuns problemas, mas bastantes dúvidas

11 de Maio de 2018 // 0 Comments

Lembro-me de quando lecionava Português para uma turma de cabos do Exército que se preparavam para o concurso a fim de ingressar na Escola de Sargentos. Estudávamos a gramática normativa, e ao verem uma frase em que se lia a palavra “bastantes” perguntaram: – Está errado, né, professora? Acostumamo-nos a usar, na linguagem falada, um bastante invariável, que serviria para substituir muito, muita, muitos ou muitas. Dizemos que temos bastante livros, que compramos bastante [...]

Quando se criam novas palavras?

4 de Maio de 2018 // 0 Comments

Quem já acompanhou o crescimento de uma criança sabe que não é incomum que ela invente palavras a partir do que observa no uso da linguagem. Para a criança, pode parecer mais lógico, ou menos difícil, chamar o travesseiro de “cabeceiro”, por exemplo. Se existe o lobo mau, por que a bruxa não pode ser “maua”? As deduções que as crianças fazem deixam claro que o nosso léxico externo está vinculado ao nosso léxico interno; o conjunto de palavras que pode ser verificado [...]

Diga “coração”. – “Curaçau.”

20 de Abril de 2018 // 0 Comments

Esse talvez seja o som mais distintivo da língua portuguesa, cuja incapacidade de pronunciar pode ter transformado a ilha de Coração (ou Curação, conforme outras teorias), como a chamavam os portugueses, em Curaçau, no Mar das Caraíbas. O som do ditongo ao denuncia se o falante é nativo da língua portuguesa ou não. O nome que se dá, na Linguística, para esse tipo de fonema, é xibolete: uma peculiaridade da pronúncia, um som que apenas os falantes nativos conseguem distinguir ou [...]

ME DEIXA, NÃO: DEIXE-ME!

13 de Abril de 2018 // 0 Comments

              Meu colega Josoel chamou minha atenção para o uso que fazemos do imperativo. Observou que em filmes dublados em português, o que se ouve por vezes não é o que está escrito na legenda: O ator falou “Sai daqui!”, enquanto que a legenda mostrava “Saia daqui!” Não faz diferença quanto ao sentido, o que incomoda é a gramática. Afinal, devo dizer “Ouça o que eu falo” ou “Ouve o que eu falo”? Ambas as frases são perfeitas, contanto que você [...]

Para que serve o ponto e vírgula?

6 de Abril de 2018 // 0 Comments

Luiz Fernando Veríssimo, divertidamente, escreveu o seguinte: “Mas tenho um temor e uma frustração. Jamais usei um ponto e vírgula. Já usei ‘outrossim’, acho que já usei até ‘deveras’ e vivo cometendo advérbios, mas nunca me animei a usar ponto e vírgula. Tenho um respeito reverencial por quem sabe usar ponto e vírgula e uma admiração maior ainda por quem não sabe e usa assim mesmo, sabendo que poucos terão autoridade suficiente para desafiá-lo. Além do [...]

Numerais, para que vos quero?

23 de Março de 2018 // 0 Comments

Nas cinco curiosidades abaixo, vejamos se você encontra o erro em cada uma: 1) A Mega da Virada para 2018 premiou quatro mil, oitocentas e sessenta e duas pessoas que acertaram a quintilha. 2) A pequena amazonense de Manaus, Evelyn Frota Araujo, foi eleita a mais jovem miss brasileira, com onze meses e dezasseis dias. 3) O meia-campista Luka Modric foi eleito o melhor meia em 2017. 4) No mundial de atletismo indoor deste ano a brasileira Rosângela foi eliminada por apenas um cêntuplo. 5) A [...]

Antônimos que podem ser sinônimos

16 de Março de 2018 // 0 Comments

Aprendemos que sinônimos são termos que possuem significado ou sentido semelhante, como brado e grito, e que antônimos são, ao contrário, termos que significam o oposto, como amor e ódio. Isso quer dizer que palavras que são antônimas não podem ser sinônimas, certo? Errado. As palavras não significam isoladamente. Para significar, elas precisam estar inseridas num contexto linguístico, e relacionadas a um contexto social e cultural. O contexto refere-se ao ambiente linguístico em [...]

Aí ela pegou e disse… – Que construção é essa?

9 de Março de 2018 // 0 Comments

Considere o seguinte trecho de uma história: O cara foi chegando […] aí o colega dele falou assim: Ih, sujou […] e ele pegou e saiu correndo. “Ele pegou e saiu”é uma construção muito utilizada na fala, ao contarmos histórias informalmente. Ela forma uma perífrase; ao invés de usar apenas o verbo principal “sair”, usamos uma expressão da qual ele é parte. Por que essa frase é diferente de, simplesmente, Ele saiu correndo? Nessa construção o verbo “pegar” não [...]

Criança de um marceneiro? A criança adora uma mamadeira e o marceneiro odeia uma má madeira.

2 de Março de 2018 // 0 Comments

Sem a língua, o que somos? Ela é uma das manifestações que fundamentam a identidade, individual e de um povo. É um dos elementos que constroem nossa subjetividade, ou nossa ligação com nossa herança cultural. E é também um instrumento de comunicação, que nos permite ser compreendido e compreender. Não pensamos sobre essas coisas quando usamos nossa(s) língua(s) cotidianamente, em especial quando falamos. Mas a fala é tão presente, tão cara para nós, que não encontraremos [...]
1 2 3 5
Carregando...