Haver: Verbo Impessoal

Haver: Verbo Impessoal

8 de outubro de 2017 // 0 Comments

Quem está ouvindo percebe a dúvida de quem fala: “Não havia… haviam… muitas pessoas lá”. É como se soubéssemos que a pessoa que fala pergunta a si mesma: “Como posso deixar o verbo no singular se estou falando de muitas pessoas?” Creio que todos aprendemos na escola que neste caso, no sentido de existir, o verbo haver não tem sujeito. Este, no entanto, é um dos diversos casos de uso da língua portuguesa no qual precisamos de reforço, de tempos em tempos, se temos o [...]

Educação Bilíngue: Porque somente o Português não é mais suficiente

30 de setembro de 2017 // 0 Comments

Eu conversava com meu amigo Gabriel, que levantou a questão do ensino bilíngue como algo novo e que, portanto, ainda não se entende bem como funciona. Neste texto procuro responder a algumas questões envolvendo essa forma de ensino-aprendizagem, que aos poucos se começa a oferecer à comunidade. Por que ensinar também outras línguas? Certamente a condição econômica atual do Brasil não favorece que grande parte dos brasileiros usufrua de viagens internacionais; mesmo assim, a [...]

Aportuguesar ou não? Eis a questão

23 de setembro de 2017 // 0 Comments

A Unespar possui oito câmpus; ou seriam campi? Universidades utilizam as palavras campus (no plural campi) para referir-se às suas unidades descentralizadas. Trata-se de um termo latino, que significa “conjuntos de edifícios e terrenos de uma universidade”. Quanto àsua ortografia, podem-se adotar dois posicionamentos: Considerá-la já incorporada ao nosso idioma, como aconselhado por Domingos Paschoal Cegalla em seu Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa, ou concebê-la como [...]

Aportuguesar ou não? Eis a questão

15 de setembro de 2017 // 0 Comments

A Unespar possui oito campûs; ou seriam campi? Universidades utilizam as palavras câmpus (no plural campi) para referir-se às suas unidades descentralizadas. Trata-se de um termo latino, que significa “conjuntos de edifícios e terrenos de uma universidade”. Quanto à sua ortografia, podem-se adotar dois posicionamentos: Considerá-la já incorporada ao nosso idioma, como aconselhado por Domingos Paschoal Cegalla em seu Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa, ou concebê-la [...]

Para saber onde usar onde

2 de setembro de 2017 // 0 Comments

  Como advérbio interrogativo de lugar, onde não deveria ser confundido com aonde: Onde você mora?, mas Aonde você vai?Ambos designam lugar, porém não podem ser usados no mesmo contexto porque indicam, respectivamente, posição e movimento. Para determinar a diferença, consideramos os verbos: aqueles que indicam movimento ou destino, como ir, chegar ou dirigir exigem aonde, pois quem vai vai a algum lugar, assim como quem chega chega de algum lugar; percebemos a presença de uma [...]

Evitando o evitável: o pleonasmo vicioso

25 de agosto de 2017 // 0 Comments

Primeiramente, um panorama geral: Existe um antídoto contra o pleonasmo vicioso, que consiste em atentar para o exagero dos detalhes minuciosos. As pessoas humanas apresentam sintomas indicativos do costume de tornar a repetir o uso de termos demasiadamente excessivos; mas há sempre uma escolha opcional. Apesar de ser um fato real que às vezes não parece haver outra alternativa, não é preciso subir para cima ou descer para baixo. A goteira do teto pode ser apenas a goteira, pois com [...]

Para efeito de comparação

19 de agosto de 2017 // 0 Comments

Os adjetivos, que explicam ou restringem os significados dos substantivos, podem ser utilizados em graus comparativos e superlativos. Advérbios, por outro lado, também podem estabelecer comparações em graus, e quando expressam intensidade. Esse uso, no entanto, nem sempre é livre de dúvidas, como é o caso nos exemplos abaixo: “MAIS BEM” OU “MELHOR”? Em geral, aprendemos que a expressão “mais bem”, assim como “mais bom/boa” deve ser substituída pelo advérbio [...]

Questões de gênero

11 de agosto de 2017 // 0 Comments

  Há poucos anos instituiu-se no país uma polêmica linguística com relação ao gênero do substantivo presidente; a partir do momento em que temos uma mulher ocupando a presidência do país, referimo-nos a ela também como presidente, ou devemos mudar a forma do substantivo para presidenta? Creio que, neste caso, todos nós sabemos que a disputa é muito mais política que linguística.           A maioria dos substantivos da língua portuguesa que se referem a seres humanos [...]

Um pouco da participação árabe em Porto União

29 de julho de 2017 // 0 Comments

Esta semana, abordando a língua árabe como constituidora da identidade de nossa sociedade, finalizo a sequência de textos que são minha singela homenagem à pluralidade linguística na formação do município de Porto União, pela comemoração de seu primeiro centenário completado este ano. Reconheço que outras variedades linguísticas que não foram abordadas nessa sequência de textos também deixaram sua contribuição, porém faltam-nos no momento as condições para uma pesquisa [...]

LÍNGUA POLONESA: entre a saudade e a modernidade

14 de julho de 2017 // 0 Comments

“Mais do que a fome, a doença e a solidão, Era a ʽt´sknotaʼ que apertava o coração Sim, até isso a Polônia e o Brasil Têm em comum: a saudade” (Excerto do poema “140!”, de TomaszLychowski) Na poesia e na liturgia, a língua polonesa abrevia a saudade dos imigrantes e seus descendentes. Porque o descendente nascido no Brasil também sente a saudade de uma terra cujos olhos nunca viram, e de pessoas que nunca abraçou, visto que os percebe como parte sua, como sua identidade. Na [...]
1 2 3
Carregando...