AO MENOS TRÊS

AO MENOS TRÊS

18 de março de 2013 // 0 Comments

O número serve à ciência como elo entre a apreensão da realidade, tal qual se apresenta não, mas pela suposição de que através da linguagem matemática, seja amboceptor do homem à natureza. Newton mesmo cria nessa linguagem universal, cuja tradução seria a própria descoberta de suas leis. Há números que ganham significado privilegiado nas mais diversas culturas: o um, por exemplo, representando a unidade, a união com a natureza ou com Deus. O três, tão presente no cristianismo, [...]

III (fim) Então agora eu tenho inconsciente?

9 de março de 2013 // 0 Comments

Além disso isso pulsa. Uma das formas de se reconhecer os mecanismos do inconsciente é através da insatisfação, que na realidade é o motor do aparelho psíquico. Suponha uma satisfação momentânea, como todas as satisfações diminuem a tensão há um rebaixamento da mesma. Mas sendo parcial, sempre haverá outra. Aqui não se trata apenas da repetição da experiência, trata-se da substituição de uma vivência não apreensível. É preciso admitir então que a pulsão visa algo, tem [...]

Então agora eu tenho inconsciente? II

4 de março de 2013 // 0 Comments

Sartre não tinha inconsciente. Pelo menos assim dizia. Uma vez perguntaram a Nasio (um lacaniano) sobre algo parecido: o sujeito ouviu um amigo dizer o mesmo que Sartre. Nasio respondeu: está correto, seu amigo não tem inconsciente. Mas por quê? Porque ele não faz análise. Esta premissa – pra fazermos mais uma distinção do inconsciente do jornalista da Superinteressante – considera que o próprio conceito de inconsciente engloba o analista. Pois ao contrário do que se pretende ao [...]

Então agora eu tenho inconsciente?

24 de fevereiro de 2013 // 0 Comments

A Superinteressante publicou algo sobre o inconsciente, eu me dei ao trabalho (e comprei – R$ 13,50) de ler. O título diz: “o mundo secreto do inconsciente. Sim, ele realmente existe… a ciência confirma a principal teoria de Freud.” Tenho em casa mais duas delas, uma de 2002 cuja capa diz: “O fim da psicanálise? Será que alguém (incluindo você) ainda precisa de Freud?” E no índice um complemento ao leitor: “Neurologistas e estudiosos da mente dizem que a psicanálise [...]

POR UM NÃO QUE FOSSE SIM

17 de fevereiro de 2013 // 0 Comments

Não é porque um ouvido sabe ler que o emprego parcimonioso do termo terá prejuízo de sentido literal. Costumamos fazer da metáfora do sentido algo aproximado à ideologia do termo, como do conceito à coisa – estratégia do verbo – materialismo da ideia. O que se perde ou o que se ganha é “ou” da dialética recaída obrigatoriamente no “e”. Dito e feito tudo remontará ao falta-a-ser. Ser e ter à existência. Da metafísica ao não um passo. E da dupla negação consagrada do [...]
1 11 12 13
Carregando...