Brigadistas da Uniguaçu participam de aperfeiçoamento na Academia do Barro Preto

Os colaboradores trabalharam em equipe nos desafios e adquiriram novos conhecimentos para a vida
Superar limites, vencer barreiras e medos. O treinamento na Academia de Treinamento em Emergências do Barro Preto, em São José dos Pinhais (PR), fez com que a Brigada de Incêndio e Emergência da Uniguaçu tivesse uma experiência para a vida! Ao todo 14 colaboradores da Instituição participaram de um aperfeiçoamento na academia no sábado, 10.
Os participantes do treinamento tiveram técnicas de primeiros socorros, teoria de fogo, mecanismos de transmissão de calor, classes de incêndios, agentes extintores, uso de equipamento de proteção individual (EPIs), práticas em resgate (de pessoas com mobilidade reduzida) em áreas remotas, colocando em prática a avaliação, imobilização e transporte de vítimas. Também realizaram exercícios práticos de combate a incêndios, noções de trabalho em ambientes confinados, escaladas e transposições, onde contaram com estruturas, equipamentos e profissionais altamente capacitados.
Segundo o Coordenador Geral da Brigada de Incêndio e da Uniguaçu, Hilton Tomal, a experiência foi marcante e intensa, pois colocou a prova diversos medos e limitações pessoais, porém, demonstrou que um brigadista deve preservar em primeiro lugar a sua integridade, mas, acima de tudo, garantir o cuidado com o próximo. “O que fica de grande aprendizado é o pensamento em grupo e o espírito de liderança”, afirma.
Além de muito conhecimento e prática, foi o trabalho em equipe que fez com que conseguissem vencer cada etapa do treinamento. Uma das integrantes da Brigada da Instituição, Cristina Sonnenstrahl, comenta que é importante que todos conheçam e saibam quais são os seus limites. “Eu imaginava que meu limite era um espaço confinado, mas meu maior problema foi a altura. Você descobrir isso e ver as dificuldades dos seus colegas se torna algo muito interessante, assim sendo, dentro da Brigada da Uniguaçu, cada um tem a sua função e assim podem colocar a pessoa certa no lugar certo.”
Depois de finalizado o treinamento, os participantes foram certificados individualmente e a Uniguaçu também recebeu um certificado, onde consta que a equipe que participou do treinamento está apta a atuar em situações de emergência.
A Brigada de Incêndio e Emergência da Uniguaçu existe desde 2017, e, é composta por colaboradores e professores de todas as áreas e prédios da Instituição. A finalidade de brigada é fazer com que a Instituição esteja preparada para atender qualquer sinistro ou acidente com a estrutura e com as quase cinco mil pessoas que transitam por aqui diariamente.

Engenharia Civil
A viagem foi uma parceria do curso de Engenharia Civil com a Uniguaçu. O treinamento teve como objetivo submeter os colaboradores e acadêmicos a atividades de proteção e defesa que podem ser realizadas em possíveis situações emergenciais e que poderão contar com o apoio de voluntários.
Os acadêmicos do décimo e do oitavo período do curso de Engenharia Civil realizaram as atividades práticas de treinamento acompanhados pelos professores Larissa Jagnez e João Chiabai Jr. Para os alunos do curso, as atividades de combate a incêndio possuem um maior destaque, visto que um dos projetos que pode ser elaborado por um engenheiro civil é o Plano de Segurança Contra Incêndio e Pânico. Essas atividades de combate contemplaram os trabalhos com extintores e hidrantes, dois sistemas principais de proteção ativa utilizados nas edificações e dimensionados em projetos.
Dessa forma, os mesmos puderam ter a noção de como utilizá-los em uma situação real de incêndio, a qual muitas vezes está acompanhada de um fator determinante na ação das pessoas na hora do combate: o pânico. Nessas atividades os acadêmicos utilizaram extintores de diversos agentes extintores, como pó químico, CO2 e água pressurizada, relembrando de todos os conceitos de teoria do fogo vistos em sala de aula.
Essa atividade prática encerrou a disciplina do oitavo período do curso, Sistemas de Prevenção de Incêndio, ministrada pela professora Larissa Jagnez, a qual é um diferencial do curso da Instituição, atendendo uma demanda de mercado dessa área, haja vista as grandes tragédias que vem ocorrendo devido a sinistros desse tipo. “Para o engenheiro civil, que projeta os sistemas de prevenção de incêndio é de extrema importância o conhecimento de como esses sistemas funcionam. Essa ação visa melhorar a elaboração dos projetos, colocando o projetista na posição de atuação, vivenciando de perto o medo e o pânico em situações desse tipo. A fuga em situações de sinistros de incêndio e pânico faz parte do instinto natural do homem, participar do combate tem que ser treinado”, afirma a professora.

 

Fisioterapia e Agronomia vencem a Copa de Futebol 7 Uniguaçu 2018
Equipe feminina de Fisioterapia é bicampeã e Agronomia conquista o primeiro título no masculino

A emoção tomou conta da torcida e dos times no Centro Esportivo Uniguaçu (CEU) na noite da quarta-feira, 7, onde aconteceram as partidas finais da Copa de Futebol 7 Uniguaçu 2018. As disputas foram acirradas e a equipe, de Fisioterapia, feminina consagrou-se bicampeã e Agronomia, masculino, conquistou o primeiro título na competição.
A abertura dos jogos contou com a participação de Lucas Beninca, que tocou o hino nacional na sanfona. A primeira disputa, que decidiu o campeonato feminino, teve em campo Educação Física contra Fisioterapia. Com uma partida bem disputada, os times empataram e a decisão da vitória de Fisioterapia ocorreu nos pênaltis.
A apresentação musical dos acadêmicos de Medicina Veterinária Jonathan Andrei, Lucas Beninca e Daniel Leite Fernandes ocorreu no intervalo dos jogos.
O segundo jogo, a disputa das equipes masculinas, contou com muita garra e equilíbrio. A partida foi acirrada e Agronomia conquistou o título com o placar de 1 a 0.
A Copa teve duração de dois meses, e contou com a participação de 13 equipes masculinas e oito equipes femininas. Para realizar a inscrição das equipes, foi necessária a doação de caixas de leite, totalizando cerca de 1.250 litros, e grande parte já foi entregue às entidades de União da Vitória. Segundo o professor Carlos Alberto Senkiv, organizador do evento, esta quantidade de litros arrecadados corresponde às inscrições individuais de cada atleta e das punições dos cartões que recebiam em campo. O cartão amarelo equivalia a 3 litros e o vermelho a 5 litros.
Este ano vários cursos se uniram para formar uma única equipe. Em apoio à igualdade e à diversidade, esteve presente em todos os jogos a faixa “Somos todos iguais”, um dos lemas da competição. Outra novidade deste ano foi o slogan “Não é só futebol. Nunca foi. Nunca será”, que mostrou que o propósito pode ser vencer e competir, mas por traz disso existe muito sentimento, comprometimento dentro e fora de campo, pois o futebol vai muito além do jogo.
Os campeões receberam troféus e medalhas. Além das equipes, os jogadores que se destacaram nas partidas também foram premiados. O professor Carlos Alberto Senkiv comentou que com a implantação dos jogos femininos, que ocorreu há dois anos, pode se notar o crescimento técnico a cada ano, pois o futebol feminino se desenvolveu muito em nossa região e a Instituição é a prova disso. “Todos os jogos foram emocionantes! É muito prazeroso ver a participação de todos. O evento une torcidas e uniu cursos este ano. Só posso dizer que a cada ano que passa isso se torna maior, devido ao engajamento dos acadêmicos, professores, coordenadores, colaboradores e a direção da Instituição que sempre nos apoia.”
Ele ainda diz que a Copa de Futebol 7, em 2018, uniu o maior número de atletas e vai ficar para a história. “Agora, estamos com a sensação de dever cumprido, pois realizamos mais uma ação com o compromisso social da Uniguaçu. Agradeço ao apoio e incentivo do coordenador do curso de Educação Física, professor Andrey Portela, aos colaboradores que fizeram um importante trabalho e também ao Marketing por estarem sempre dispostos, nos apoiando e realizando a divulgação para enriquecer o evento”, finalizou o organizador do evento.

COPA DE FUTEBOL 7 UNIGUAÇU

Masculino
1º lugar Agronomia
2º lugar Administração
3º lugar Engenharia Civil
Goleiro Menos Vazado Igor Leandro – Administração
Artilheiro Cássio Francisco Volanik – Direito

Feminino
1º lugar Fisioterapia
2º lugar Educação Física
3º lugar Farmácia/Nutrição/Biomedicina
Goleira Menos Vazada Amélia de Paula – Educação Física
Artilheira Larissa Setembrino da Luz – Fisioterapia

 

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...