Em busca do vôo perfeito – Parte final

(…Continuação da Edição nº 2457-24/fev/2018)
Os limites estão sendo expandidos e a evolução deles acontecendo proporcionalmente muito mais rápida que a nossa. Como humanos estamos tendo um desenvolvimento tecnológico fantasticamente veloz, o mesmo não ocorrendo com o avanço moral, cujo momento é de regressão acelerada. Precisamos corrigir isso, sob pena de estacionarmos perigosamente a beira do precipício evolutivo. Na verdade já estacionamos e poucos perceberam isso. Hora de despertar, descobrir quais nossos reais problemas, nossas deficiências, nossas dificuldades, polir nosso caráter e expandir nosso coração, explorando e praticando a fraternidade. Tão fácil e tão difícil ser fraterno. Com a educação intelectual uma nação avança, mas ela somente terá valor se a educação moral caminhar junto. Vital investir com urgência em nossa educação moral. Reconstruir o que perdemos o que fomos deixando pelo caminho. Precisamos distribuir convites à felicidade, trilhando o único caminho que nos leva a ela: a prática da verdade.
A verdade nos leva a pureza e esse é o atalho para o encontro da felicidade, e vivendo na felicidade estaremos convivendo com a verdade, como o funcionar de um moto contínuo, cíclico, repetitivo, permanente. A verdade encontra a felicidade que volta a se encontrar com esta, gerando aquela. Dessa forma o infinito acontece, ou podemos ter um pouco compreensão dele estando nós apenas no inicio do que isso quer dizer. Nosso pensamento é poderoso, nossa mente cria o que desejamos e com isso constantemente estamos distribuindo convites pelo universo, direcionando-os para os endereços em que queremos que cheguem. Para onde vamos direcioná-los, quem queremos convidar? As decepções? As dificuldades? A miséria? O desmérito? Nossas emoções, nossos sentimentos são captados pelo Universo, que tem uma sensibilidade extraordinária e percebe que toda emissão de energia deve ser respondido e todo convite, atendido, então devemos enviar convites certos a endereços certos. Queremos a paz? – Enviemos convite para a paciência, para a tolerância, para a “não importância” do que nos machuca, aprendamos a dar as costas, a oferecer a outra face quando preciso e então, teremos a paz. Queremos a prosperidade? – Enviemos convites para a autoestima, ao auto reconhecimento, para a alegria, para todos os tipos de valores que existem, abracemo-nos, sejamos ternos com nós mesmos, sejamos verdadeiros com nós mesmos, sejamos honestos, acreditemos na felicidade, na abundância que é natural e constante no Universo e então, estaremos convidando a prosperidade. Queremos a saúde? – Sejamos pacíficos, calmos, procuremos o bem, pratiquemos os bons pensamentos, enviemos convites para a serenidade, para a tranqüilidade, evitemos a raiva e o ódio, perdoemos, desfaçamos os nós da mágoa, do transtorno emocional, nos aceitemos, aceitemos o mundo e os outros e então, estaremos enviando convites à saúde!
E finalmente, desejamos mudar a nossa realidade? – Então enviemos convites a nós mesmos, amemo-nos e nos permitamos ser quem somos, permitamos que nossa postura externa seja a mesma que temos em nosso coração e que impedem erroneamente de se exteriorizar, sejamos o divino e o divino é a pessoa que guardamos dentro de nós e que muitas vezes não vem para fora devido à nossas múltiplas desculpa. A nós cabe encontrar o voo perfeito. Façamos isso.

(fonte de pesquisa/inspiração: os-filhos-da-alva.blogspot.)

 

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...