Em defesa da diversidade

Na última segunda feira, dia 13 de junho, fui surpreendido durante meu tradicional e cada vez mais rápido repasse pelos noticiários impressos do Brasil e do mundo por mais uma daquelas trágicas notícias tão típicas de seus cadernos “mundo” e “internacional”. Na cidade de Orlando, Flórida, Estados Unidos, um jovem estadunidense de 29 anos entrara em uma boate gay armado de um fuzil e uma pistola e, tomado por uma sanha assassina, acabara com a vida de 50 pessoas antes de ser ele próprio morto pela polícia da cidade. O massacre, ocorrido durante o fim de semana, foi rapidamente colocado na conta de atentados terroristas e gerou comoção não apenas na cidade onde ocorreu, mas em todo o país. Nas principais páginas impressas e sites dos noticiários, as sinceras condolências às famílias das vítimas, jovens que saíram para se divertir em uma noite de sábado e simplesmente foram impedidas de voltar para casa pela ação de um ser humano de conduta inominável. Vários e oportunos questionamentos à facilidade com que podem ser adquiridas armas naquele país, sem que qualquer checagem com relação aos antecedentes do consumidor seja realizada por quem quer que seja – consta que o autor dos disparos já havia sido investigado pela polícia por possíveis vínculos com grupos terroristas. O que motivou a realização de análises acerca das origens afegãs do atacante, o qual teria ligado para a polícia antes de realizar os disparos com a única finalidade de deixar clara sua vinculação com o Estado Islâmico – grupo terrorista mundialmente conhecido e combatido. Finalmente, mas, de modo sintomático, em uma escala muito menor, foi referido por alguns comentaristas e pelo presidente estadunidense Barack Obama o fato de que as vítimas eram homossexuais, o que naturalmente enquadra o ocorrido no rol dos crimes motivados pela intolerância à diferença.
O trágico acontecimento nos permitiria traçar interessantes análises sobre elementos característicos da sociedade e da cultura estadunidenses, tão invejada quanto desconhecida de grande parte de nossos familiares, amigos e conhecidos. Mas, ao realizar tal exercício, eu estaria deliberadamente fugindo aos objetivos fundamentais desta coluna, os quais giram em torno da necessidade de compreensão de nossa própria sociedade, sempre que possível a partir do conhecimento de processos históricos importantes para sua formação e constante transformação ao longo do tempo. E, a bem da verdade, a tragédia ocorrida em Orlando também joga luz sobre nossa própria cultura, nossos próprios valores. E não digo apenas enquanto brasileiros, mas enquanto porto-união-vitorienses mesmo (desculpem, mas não consigo me furtar a utilizar um gentílico que, embora fictício, serve para congregar os moradores de ambas as cidades). O caso foi trivial. Na mesma segunda feira em que li a notícia e pesquisei rapidamente sobre seus desdobramentos na imprensa brasileira e mundial, me dirigi ao banco para sacar algum dinheiro, na hora do almoço. Como é comum neste horário a espera em uma pequena fila foi inevitável, durando tempo suficiente para tomar contato, meio a contragosto (quem nunca ficou mal-humorado quando com fome?), com a animada conversa entre duas senhoras, uma mais jovem, a outra de idade mais avançada. O tema: o massacre dos Estados Unidos. Lamentações sobre a sorte das vítimas e das famílias, o absurdo da completa falta de controle sobre a venda de armas, a loucura dos terroristas, e, ao final, a frase que colocou abruptamente fim à conversa (pelo menos para mim, que em estado de quase choque simplesmente não consegui mais registrar o que era dito – exatamente como desejei quando entrei no banco, mas pelo pior motivo possível): “mas, pelo menos, só morreram gays pelo que ouvi, né?”
Fiquei estático. Durante um minuto, talvez apenas alguns segundos que pareceram durar eras, senti um misto de espanto, de incompreensão, de repulsa. Como assim “pelo menos só morreram gays”? Caso não fossem a tragédia teria sido mais terrível? As lamentações seriam mais sentidas? As famílias que perderam seus filhos, pais e irmãos sofreriam ainda mais? O ocorrido mereceria maior repulsa? Penso ter ouvido alguma resposta atravessada, porém educada, da outra senhora que tomava parte na conversa, mas confesso que não prestei maior atenção a ela. Eu estava, então, fitando a cidadã aparentemente cristã (fazia uso de um vistoso pingente de crucifixo no pescoço) enquanto ela se dirigia ao caixa eletrônico, imerso em meus próprios pensamentos. É incrível como são nos atos mais corriqueiros do cotidiano que o caráter profundo de uma pessoa se faz notável. É do rápido, do instintivo, do reflexivo, que as crenças mais arraigadas se utilizam para driblar o autocontrole, o respeito às convenções sociais, ao “politicamente correto”. Para aquela senhora, a mais jovem das duas, não há como contestar: um homossexual vale menos do que uma pessoa considerada “normal”. Ela sentia muito pelas vítimas, aparentemente de modo sincero. Mas sentiria ainda mais caso elas não frequentassem uma boate voltada para o público LGBT.
O conservadorismo da sociedade brasileira é notório e conhecido de todos os especialistas. A escravidão foi abolida não por consideração aos escravizados, mas pelos prejuízos à imagem do país que a preservação do trabalho compulsório provocava. Já entrado o século XX, a extensão do direito de voto às mulheres, em 1932, só se tornou realidade após enfrentar intensa luta dos setores sociais que a ele se opunham, assim como ocorreria com a legalização do divórcio, ocorrida décadas depois. Até 2002, data em que o Código Civil promulgado em 1916 foi finalmente substituído, um casamento ainda podia ser desfeito caso o marido constatasse que a noiva não casara virgem, e ainda hoje não é raro encontrar quem se disponha a bater palmas e a defender que o homossexualismo é uma doença, e como tal deve ser tratada e “curada”. Verdadeiro “avanço” no âmbito do pensamento ultraconservador brasileiro. Não basta mais apresentar o diferente como um pecador digno de excomunhão… agora ele se tornou um doente, um caso patológico que só pode ser curado mediante tratamento intensivo. Afirmação com fundo nazista, é preciso que se diga. Nada menos do que isto. Também era próprio do grupo dirigente da Alemanha, entre os anos de 1933 e 1945, propor a cura de homossexuais, ciganos, judeus e outras minorias, apresentados à sociedade como “maculadores” da pureza racial alemã. Naquele caso, a doença desapareceria com a realização de trabalhos forçados. Em casos mais extremos (como no de crianças nascidas com algum tipo de limitação física), apenas com a morte. O resultado de tais doutrinas todos conhecemos muito bem. O que espanta é que estes ideais insistam em proliferar entre nós, como um fantasma enviado diretamente dos calabouços do passado para nos assombrar. Já escrevi neste espaço uma vez e afirmo ainda outra: a história não se repete jamais. São os homens e mulheres do presente que insistem em repetir os mesmos erros, renunciando voluntariamente à sua própria melhoria enquanto indivíduos e enquanto entes sociais.
É preciso que fique claro: os homossexuais, assim como os negros, as mulheres, os ciganos e todas as minorias, são seres humanos integrais em direitos e deveres que merecem o mais completo respeito. Eis um princípio óbvio que, francamente, não deveria precisar de enunciação. Repugna a ideia de que alguém possa ser julgado ou desmerecido por sua opção sexual que, sejamos claros, interessa a ele (ou a ela) e a seus parceiros e parceiras, e a mais ninguém. Repugna enquanto valor humano, mas também enquanto princípio social. Uma sociedade só pode ser concebida, só pode ser organizada e dimensionada enquanto o espaço comum de indivíduos que são, por definição, diferentes. É precisamente sobre isso que repousa a democracia: a aceitação e o respeito às diferenças. E é sobre a diversidade que descansa a única possibilidade viável de evolução da humanidade. Que seria dos europeus, não fosse a matemática e os conhecimentos arquitetônicos árabes? Que seria do Brasil não fossem as inúmeras contribuições das etnias que compõe sua nacionalidade? A valorização da diversidade é, este sim, um fato histórico que vale a pena resgatar e defender. Para nosso próprio bem, e para melhoria da sociedade da qual fazemos parte. Até a próxima!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


male-enhancement-pills   penis-enlargement-medicine   best-penis-enlargement-pills   male-enhancement-pills-that-work   penis-pills   best-erection-pills   penis-enlarger   penis-enlargment   best-sex-drugs   evermax-pill   penis-enlargements   hard-on-pills-that-work   enhanced-male-pills   male enhancement   penis extender   best male enhancement pills   penis enlargement medicine   best male enhancement   penis stretcher   penis enlargement pills   extenze reviews   penis extenders   sex pills   how to produce more sperm   extenze review   extenze male enhancement   male enhancement pills that work   bathmate results   male enlargement pills   male extra   extenze pills   how to increase semen volume   increase sperm volume   penis pills   volume pills   male enhancement pills that work fast   increase semen volume   bathmate before and after   best penis enlargement pills   male enhancement pill   penis enhancement   penis pump before and after   how to increase sperm volume   best budget penis pumps   enhanced male   best erection pills   bathmate review   best penis pumps   penis traction   how to produce more cum   male enhancement products   3 ways to increase seminal fluid   male enhancement pills over the counter   penis pump results   increase ejaculate   best sex pills   male enhancement reviews   how to produce more semen   dick pills   sex pills for men   penis enlargement pill   how to increase ejaculate volume   how to increase ejaculate   extenze side effects   huge ejaculation   penis enlargement pump   water penis pump   male enhancement supplements   do penis enlargement pills work   increase semen   bath mate   penis pump reviews   penis growth pills   best male enhancement pill   bathmate routine   size genetics   male supplements   male enlargement   male extra reviews   the best male enhancement pills over the counter   how fast does extenze work   how to ejaculate more   extenze results   penile extender   bathmate x30   max performer   best penis extender   bathmate reviews   semen volume   extenze extended release   penis pumps   dick enlargement   how long does it take for extenze to work   dick pumps   penile traction   big loads   best male enhancement pills that work   increase sperm volume pills   extenze pill   best male enlargement pills   male sex pills   penis strecher   home made penis pump   dick extender   cum pills   natural ways to increase seminal fluid   best penis enlargement   penis pump before after   penile traction device   best over the counter male enhancement   over the counter male enhancement pills   male extra review   vigrx plus review   does bathmate work   extenze directions   best penis   penis enlargement pills that work   volume pill   sex pill   male enhancer   increase cum   extenze ingredients   semen volumizer   increase semen production   do male enhancement pills work   enhancement pills   vigrx pills   penis enlargment pills   stamina pills   are penis pumps safe   cock pumps   darren jackson   best natural male enhancement   penis stretchers   best penis enlargement medicine   male enhancement drugs   how to increase sperm thickness   where to buy vigrx plus   best sex pills over the counter   sexual enhancement pills   increase ejaculation   increase cum volume   sexual enhancement   penis enhancers   hard on pills that work   enhancement male pill   extenze ingridients   extenze befor and after   malextra pills   extenz results   penis enlargements pumps   extenze ingredience   male enhancement pills   penis enlargement medicines   volumepills review   penis extender result   extenze ingredient   penis pump review   how to increase ejaculation volume   cock extenders   penis enlargement devices   vigrex tablets   how to increase semen amount   male performance pills   bathmate hydro   how to increase cum load   penis extenders reviews   best male enhancers   how to increase semen production   how to produce more seminal fluid   bathmate x40   male drive max   increase cum load   bathmate before after   volume increaser   produce more sperm   best male enhancement pills over the counter   max load pills   volume pills review   natural male enhancement herbs   delay pills for men last longer   cock stretcher   enhanced male pil   male enhancement pills free trials   penispumps   penis enlargement device   male sexual enhancement   extend pills   sex enhancement pills   all natural male enhancement   long sex pill   best male supplement   extenze maximum strength   do penis pills work   produce more semen   how to produce more seminal fluid naturally   increasing semen volume   penis extenders review   how to increase semen   best male enhancement pills 2019   male enhancement pills reviews   increase ejaculate volume   bathmate hydro pump   increase seminal fluid   natural male enhancement pills   hydro penis pump   vigrx reviews   do penis extenders work   over the counter male enhancement   male enhancements   top male enhancement pills   penis traction device   bathmate pump