Empatia é a habilidade mais importante que devemos praticar

A palavra empatia se originou da fusão de duas palavras gregas, com seus respectivos significados:
-in – para dentro;
-pathos – sentimento.
“É muito comum ver as pessoas confundirem empatia com simpatia. Simpatia tem o mesmo radical de empatia (o termo grego pathos), mas difere pelo início sym que significa união.” Batson (1997) cita uma variedade de pesquisas que sustentam a afirmação de que a preocupação empática evoca motivação altruísta. O altruísmo é compreendido como “a ajuda com intenção de auxiliar outra pessoa sem expectativa de qualquer compensação (senão o bom sentimento resultante)”

A empatia é a capacidade de enxergar-se, sentir-se no lugar de outra pessoa, com vontade de compreendê-la, sem julgá-la em nada. Já a simpatia está relacionada com o sentir a emoção junto de alguém. Como sua origem grega prenuncia, simpatia é a união dos sentimentos. Podemos afirmar que empatia é sentir a dor do outro, projetar-se nele e, em suas emoções. Apenas pela empatia podemos sentir as emoções do outro. Neste mundo egoísta, é fácil ‘fechar a porta das ternas compaixões’ e desconsiderar as necessidades dos outros. Podemos afirmar que um exemplo puro de empatia começa com nossos filhos, sentimos cada dor junto ao filhinho que chora, nos colocamos no lugar dele, seja em que idade for, a dor, angústia ou outro problema, vivemos e sentimos juntos. Às vezes, conhecendo e amando o nosso próximo não temos a habilidade de sentir a aflição do nosso irmão, e ajudá-lo a aliviar a sua dor. Quando nossa habilidade de sentirmos empatia é bem desenvolvida o nosso sentimento de compaixão é elevado. Jesus viveu a empatia com todos nós, sentiu a dor de cada um. Em um trecho do evangelho, quando houve a partilha dos pães, Jesus preocupou-se com a multidão que ali se reunia, o que eles iriam comer, pois na época a fome também aniquilava o povo, preocupou-se não apenas com a fome física, mas também com a fome do espírito. O menino que trazia em sua cesta cinco pães de cevada e dois peixes, poderia ter se negado a dar o seu farnel, pois cada um deveria ter pensado em trazer o seu alimento, mas ele o ofertou para que Jesus fizesse a distribuição. Atualmente, sofremos com a fome que assola os pobres, não tanto pela falta de dinheiro, mas pela má distribuição e muito mais com o desperdício, precisamos nos colocar no lugar de quem tem fome, pois quando formos inteiramente capazes de nos colocar no lugar do outro, sentir a dor dele, quase que literalmente, poderemos afirmar que temos compaixão. O apóstolo Paulo recomendou-nos ‘a se alegrar com os que se alegram; chorar com os que choram’. E acrescentou: “Tende a mesma mentalidade para com os outros como para com vós mesmos.”
O mundo seria melhor se as pessoas fossem empáticas, pois elas aceitariam o outro como ele é, sendo assim não teriam preconceito de espécie alguma, porque colocando-se no lugar do outro sentiriam a mesma angústia, e o entendimento geral de tudo que acontece ao nosso redor seria tranquilamente aceitável, pois a partir do momento que você começa a praticar a empatia, verá rapidamente os benefícios provocados por ela.
Certamente, há poucas pessoas que nascem com a empatia desenvolvida, porém para os demais, há possibilidades de reforçar essa habilidade tão proclamada. A empatia é uma das qualidades do ser humano ligadas à inteligência emocional e pode, portanto, ser desenvolvida.
Numerosos estudos apontam a importância de exercermos a empatia, pois essa habilidade nos auxilia em todos os processos da vida e desequilíbrios sociais. É de extrema importância podermos contar com alguém, podermos depositar tudo que atinge nossa alma, nossa estrutura emocional, a qual nos leva a perdermos a capacidade e o equilíbrio da paz.
“Segundo Titchener, assim como para Lipps, ter empatia é perceber através de uma imitação interna o que sente o outro. Somente através da empatia pode se penetrar na consciência do outro.”
“Ser empático é ver o mundo com os olhos do outro, e não ver o nosso mundo refletido nos olhos dele”. Carl Rogers

 

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...