Exposição ”Um foco para a Art Déco”

 

Quando iniciei a página de Arte no Jornal Caiçara em uma das edições do mês de fevereiro de 2012. A minha preocupação era divulgar a Arte, que normalmente é sempre tratada como sendo assunto sem importância e sem valor, do qual nunca precisa de incentivos governamentais, pois sempre tem algo mais importante na frente. No entanto, a Arte, faz parte do dia a dia de todos nós, temos Arte em todos os lugares e a maioria das pessoas não possui sensibilidade para apreciá-la. Assim acontece com nosso Patrimônio histórico, mais precisamente nossos prédios. Foi devido a esta preocupação que escrevi meu artigo na graduação e na pós graduação. Porém, o caminho só estava começando, logo vieram as escolas, onde o aprendizado em algum momento do ano letivo e em turmas específicas, o assunto era abordado, e logo os passeios, as fotos e os desenhos. Sempre com o foco na Art Déco para o reconhecimento e a conscientização da preservação deste patrimônio. Os centros de União da Vitória/PR e Porto União/SC fascinam pela delicadeza e detalhes das suas construções. No alto de ladeiras e nas esquinas, estão casarões e palacetes, infelizmente ainda não foram tombados pelo patrimônio histórico. As cidades são conseqüência de intervenção humana, criam-se novas soluções para organizar a vida dentro destes espaços, muitas vezes ignora-se a preservação dos patrimônios históricos. Em nossos municípios, existem poucos estudos sobre o assunto, apesar do rico acervo existente, os artigos que existem estão em bibliotecas das universidades, todos tem o objetivo de sensibilizar para o valor do acervo construído pelas gerações que nos antecederam e a conscientização para o seu conhecimento e melhoria das condições de desenvolvimento do espaço urbano e qualidade de vida destas edificações, mas como a população vai obter esta informação? Cabe aos professores levar este conhecimento aos seus educandos. A arquitetura Art Déco, com traços delicados e harmoniosos, possuidora de uma característica própria e diferenciada está presente em nossos municípios como um dos maiores acervos arquitetônicos do Brasil. Outros acervos concentram-se em Goiânia, São Paulo, Rio de Janeiro, Campo Grande, Juiz de Fora e Porto Alegre. Segundo Unes (2001), a Art Déco é uma nova concepção de construções que teve inicio na França (Europa), no período entre as duas guerras mundiais (década de 30) para atender a burguesia em ascensão. O estilo veio a substituir o barroco, como estilo decorativo, valorizando detalhes e ornamentos. A ideia de inovar, modernizar e valorizar a estética, as linhas, a forma, o volume, a cor, a abstração geométrica, o hall de entrada dos edifícios, as sacadas, as fachadas, as platibandas e as esquinas.  Observa-se nas fachadas, por ser um país tropical, que a maior parte das atividades se realizava ao ar livre. A linha streamline, cantos arredondados, janelas arredondadas a moda de escotilhas náuticas, caracteres tipográficos (sem serifa, ás vezes sombreados) a fachada de edifícios, em que há na maior parte identificação do nome do edifício e data de construção. As cores normalmente utilizadas são pastéis (bege e amarelo gema) e marinhas (azuis e verdes).  As edificações Art Déco fazem parte do nosso cotidiano, mas o cidadão comum não consegue identificá-la, primeiramente por não saber as características do seu estilo e também por estas edificações estarem escondidas atrás de letreiros e placas. E também em estado precário de conservação. A arquitetura da Estação ferroviária e do Cine Teatro Luz tem influências Art Déco, ambas foram tombadas. A Estação União teve seu processo de tombamento estadual sob o nº 002/97, Inscrição nº132 em 10/10/2000 e o Cine Teatro Luz: Processo nº 003/01, sob Inscrição nº 141, em 17 de dezembro de 2003.
Eliziane Schaefer Buch – elizianebuch@gmail.com Licenciada em Artes Visuais pela UNC, pós-graduada em Metodologia da Ação Docente pela UNIUV, e Arteterapia pela Censupeg, bacharel em Ciências Econômicas pela FAE (Curitiba). Membro da Academia de Cultura Precursora da Expressão (ACUPRE), Associação dos Artistas Plásticos Amadeu Bona. Professora de Arte da SEED Paraná.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...