JOCOP’S – Bom nível do Futsal

Feminino
Nesta edição que ainda não terminou, a modalidade do futsal feminino apresentou pelo menos três boas equipes: Paulo Frontin com o professor Zico (Flenick), estava caminhando para a decisão, sem contar o belo do trabalho que faz nas categorias escolares do município. O mesmo, com o professor de educação física, Fábio, na vizinha Paula Freitas. Terminando, com o distrito de Santa Cruz do Timbó em Porto União, com esforçado e sempre trabalhador professor Betega. No feminino chega a ser visível na maioria dos jogos, atletas sem nenhum fundamento desconhecendo totalmente as regras do esporte, que pensam, que praticam. Ao contrário das equipes acima citadas que possuem bons fundamentos e conhecimento mínimo das regras.
Masculino
Já no naipe masculino, o nível é muito bom e a briga pelo título reunirá, novamente, as equipes treinadas pelo professor, Kauan, do Cid Gonzaga, Colégio Cosmos da professora Pati, Colégio de General Carneiro do professor, Jackson, e do município de Cruz Machado com o professor Gilvan.
Arbitragem
Segundo o coordenador geral da arbitragem, Alceu “Pneu” Rodrigues, destacaram-se Cleiton Silva e Pedro Felipe.

Incompetência
Na segunda-feira às 8 horas da manhã, com todo o mau tempo que predominava em nossas cidades desde sexta-feira, claro que as rodadas semifinais teriam de ser adiadas, bem antes. Mesmo na era da comunicação instantânea, os colégios principalmente de fora não sabiam o que fazer. Havia dificuldade de transporte. Dito isto, bastava então 24 horas antes, sabedores do mau tempo, terem avisado as esquipes que a rodada de segunda estaria transferida. O mesmo aconteceu no futsal feminino quando uma equipe não compareceu a um jogo, estando portanto eliminada. Paula Freitas compareceu ao ginásio Lauro Muller para ser comunicado do WO. Não bastava só telefonar?
No basquete masculino, bons jogos, boa arbitragem, competentes mesários, mas “esqueceram” de colocar à disposição 05 coletes quando dois colégios aparecerem com a mesma cor de uniforme. Mas, o professor Capistrano um presidente sem nenhuma autonomia e competência, não se lembrou destes pequenos detalhes. Mas como já aqui escrevi, os JOJUPS em sua totalidade de jogos foi um sucesso.

Basquete feminino Sub-13
Nossas pequenas, futuras craques, jogaram, correram, dois jogos por dia, mas não conseguiram a classificação para a fase final. Embora com bons jogos e surgimento de atletas com futuro, como Sthefany, Emily e Mariana (11 e 12 anos), não venceram as equipes de São Miguel do Oeste, Balneário Camboriú, Florianópolis e Jaraguá do Sul. O susto maior ficou por conta do “papai” Sérgio que dormiu até as 11h25 do sábado, não comparecendo no café pela manhã, marcado para as 8 horas, sendo que o jogo contra Jaraguá era as 10h30. Sendo assim, fez com que o “quase” pânico tomasse conta da filha, professora técnica Uná, e deste escriba presidente da APAB. Cheguei até a acionar a polícia militar, pois o homem dorminhoco não aparecia. Por sorte, quando a polícia me ligou dizendo que estava enviando um agente investigador, eis que aparece o “soneca”.

Rapidinhas
Começa neste final de semana em Caçador, a 58º edição dos Jogos Abertos de SC. Porto União tem uma belíssima história neste evento. Participou desde a primeira edição dos jogos, inclusive no segundo abertos em Floripa, ficando com o terceiro lugar no basquetebol masculino. No longínquo 1964, Porto União sediou a fase final dos jogos abertos. A época do romantismo, de Roberto Carlos, dos bailes dos anos dourados, nosso município fez uma edição histórica. Construíram um ginásio de esportes aproveitando um depósito de madeiras na perimetral que hoje em dia nos leva a Havan, e a natação foi realizada no Rio Iguaçu. Foi um sucesso, já naquela época nossa população (das duas cidades) dava um show de acolhimento aos atletas e dirigentes visitantes. E como sempre, o todo poderoso (Deus), evitou uma tragédia maior na final dos jogos. No ginásio de esportes coberto, improvisado, com cobertura de lona plástica, após o jogo final do basquete onde o time de Porto União venceu a representação da capital Florianópolis, fecharam-se os portões, e em menos de duas horas após o término da partida e dos jogos, um temporal seguido de uma ventania derrubou toda a estrutura de madeira que segurava a lona de cobertura. Se tivesse torcedores no local, teriam acontecido, sem dúvida, algumas mortes.
Em todo esse meio século, Porto União já teve participações maravilhosas, como terceiro lugar do basquete masculino na terceira edição, o vice-campeonato feminino nos jogos abertos de 1980, na cidade de Jaraguá do Sul, participação presente com bons times de voleibol e futsal, sem falar do tricampeonato conquistado pela modalidade do tênis de mesa, demonstrando a qualidade técnica dos atletas portounionenses.
De positivo, o agora árbitro nacional, Jorge Michael Schwartz, de Porto união, já estará escalado para apitar o basquete.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...