LA ISLA DE LAS MUÑECAS (A ILHA DAS BONECAS)

 

Entre as notáveis maravilhas naturais que o México traz para o mundo, existe um lugar chamado Xochimilco. O nome vem da língua náhuatl, que significa “O lugar onde crescem as flores”. Foi instituído em meados de 1352, por uma das sete tribos náhuatl nativas de Chicomostoc. É composto por aproximadamente 190 quilómetros de canais navegáveis, misticismo e natureza. Tais canais encontram-se ao sul do limite da Cidade do México, a 23 quilómetros da área central da cidade. É o único lugar na Cidade do México que ainda guarda o sistema de canais que compunham a incomensurável Tenochtitlán, que foi construída em uma ilha do lago Texcoco e na parte sul do imenso lago o povo construía as chamadas chinampas (uma espécie de canteiro flutuante erigido sobre áreas lacustres com madeira trançada, lama e vegetação nos quais realizava-se a cultura de algumas plantas e flores). Atualmente é uma rica fonte de entretenimento para aqueles que fogem da poluição e do intenso tráfico na Cidade do México.

Os canais de Xochimilco são um zéfiro de ar fresco e as suas gôndolas (que recebem o nome de trajineras/traineiras), sobrepõem um pouco de cor ao ar plúmbeo da área central mexicana. É em Xochimilco que está localizada a misteriosa ilha das bonecas (Isla de las muñecas ), uma paisagem enigmática e tétrica que foi habitada por alguns anos pelo ermitão Julian Santana Barrera , atualmente essa ilha representa um cenário medonho com bonecas de todos os tipos e tamanhos, penduradas nas árvores lá existentes.

De acordo com a lenda conta-se que Julian encontrou um cadáver de uma jovem que afogou -se enrolada em lírios próximo a margem de um dos canais da ilha. Desde então Julian foi sistematicamente “visitado” pelo espírito da moça, a qual chorava, gritava e queixava-se initerruptamente.

Com abundante temor, Julián encontrou uma solução para seu problema em pouco tempo… ao navegar pelos canais encontrou uma boneca boiando sobre as águas, foi então que teve a ideia de pendurar a boneca em uma árvore, com intuito de proteger-se do espírito da moça e de outros que pudessem por ali chegar. Com o passar do tempo foi arrecadando bonecas de todos os tipos e tamanhos e foi rodeando sua ilha com elas, pendurando-as  pelas árvores, para que fossem elas suas guardiãs. Atualmente essas “guardiãs” contam por volta de mil.

Em meados do ano de 2001, já com idade avançada Julian se aproximou de um dos canais da ilha para pescar com seu sobrinho… Na ocasião, Julián confessou ao sobrinho que existia uma “sereia” no rio, a qual pretendia levá-lo com ela a muito tempo. O sobrinho fez pouco caso da história e disse ao velho tio que aquilo não passava de um frenesi de sua parte e que as sereias não existem. Após proferir tais palavras, deixou o tio por alguns instantes e foi guardar o gado que pelas imediações pastava. Ao regressar encontrou o cadáver do tio boiando sobre as águas, no mesmo lugar onde a anos atrás ele havia encontrado o corpo da moça. Julián teve um infarto fulminante e seu corpo sem vida caiu nas águas do canal. Após a partida de Julian, seu sobrinho herdou o lugar e o converteu em um local turístico.

Desde esse momento, a ilha é conhecida como “La isla de las muñecas”, um lugar cercado pelo mistério e tragédia o qual atrai turistas de todas as partes do mundo. Os visitantes asseguram que algumas das bonecas ali penduradas envelhecidas, sujas, com seus globos oculares ocos e muitas vezes mutiladas, cobram vida na penumbra e afugentam os maus espíritos que rodeiam o ambiente misterioso.

 

Gracias mis amigos, hasta pronto….

 

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...