O lugar certo

Os ventos aceleram e muitas coisas ficam estagnadas. Existem pessoas que podem sentar no topo de uma montanha para meditar por décadas que nada vai mudar. Todos tem a chance de mudar a si mesmo para ser mais aceitável (para si mesmo). Só que isto pode estar errado. Mudar, para muitos, significa algo muito difícil. Então, para que perder tempo em pensar ao contrário?
Kierkegaard, o cara da célebre filosofia “Enfio o dedo na existência – não tem cheiro de nada. Onde estou?” – tinha uma nababesca fixação em descobrir o sabor verdadeiro da vida. Até aí tudo bem. O estranho era como ele buscava isso. Certa vez um de seus amigos o viu com a cabeça na privada. É… Por outro lado, pode ser que ali seja mesmo o sacrário da alma humana. Ao menos de alguns.
Quanto mais se viveu, mais coisas foram vistas, mais se aguentou, mais se ganhou, mais se perdeu. É uma espécie de lavagem interna. Triturar a experiência é uma maneira de se sentir vivo. Mas pior ainda é quando fazem isso ao vivo.
Todas as loucuras se tornaram plausíveis. Mas só elas. O resto é uma pasta fétida, imunda, impregnando as calçadas e mais almas ainda. Existe a próxima linha. E a linha depois dessa…
Acho que a turma anda meio deslocada. Agem como molengas. Pensei na possibilidade do calor que se foi. É uma teoria: no inverno, o ar é frio, mas a ação é contínua. Será que é por isso que se bebe tanto nos meses frios? É a necessidade de prazer imediato? Besteira.
Para alguns, curtir uma foto de famosos imbecis do show business é o suprassumo do prazer. Outros preferem os realitys shows da vida. São inúmeras formas de sentir-se bem. É preciso meditar para encontrar as melhores maneiras. Pensei em uma: tacar fogo em Brasília. Lá sim é o lugar certo para incêndios.
*****************************
O G.P. do Azerbaijão foi uma das melhores corridas dos últimos anos. Carente de grandes pegas, a Fórmula 1 aos poucos vai sendo transformada. O embate Vettel X Hamilton incendiou o campeonato. Pelo que vi, Hamilton pisou deliberadamente no freio em plena saída de curva. A reação de Vettel foi desnecessária. Ruim para um, péssimo para o outro.
*****************************
Mais gritante ainda foi o retorno da cúpula da Mercerdes: “Hamilton não freou naquele ponto”. Tá bom. O indicador na TV mostrou a barra vermelha naquele ponto, a telemetria confirma e as imagens aéreas não deixam dúvidas. Tenho certeza que os dirigentes da Mercedes fizeram curso intensivo em Brasília. Negar até a morte é a nova ordem nos boxes germânicos.
*****************************
Ainda no Azerbaijão: Felipe Massa teve, em muitos anos, uma chance real de vitória. Mas foi traído por um amortecedor estourado. Um dia depois entrei em um site especializado para ver os comentários dos entendidos. A grande maioria (Que tenho certeza que não assiste a uma única corrida) dizia que Massa “nos envergonha”. É isso aí. Sentem envergonha de um piloto fazendo seu trabalho, mas não se envergonham de votar em ladrões – e nem em defende-los. É um povo versátil na sua hipocrisia né?
*******************************
E a nossa Justiça? Soltaram o Rocha Loures e reconduziram Aécio Neves para o Senado. Onde vamos parar, não sabemos. Mas com certeza atravessamos o fundo do poço e agora afundamos no manto terrestre rumo ao desconhecido. Quem sabe encontraremos mais diabinhos pelo caminho?
*******************************
A Polícia Rodoviária Federal anunciou nessa semana que reduziu o policiamento nas estradas por falta de verba. Fantástico. Vai liberar geral. O triste é saber que os responsáveis por isso vão escapar numa boa com a impunidade institucional. Os assassinos ao volante e a ladroagem agradecem a eles.
*******************************
Pra fechar: ao que parece, Rodrigo Maia será o próximo presidente desta pocilga. Sem muita demora. No mês que vem, para ser mais concreto.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...