Pesquisa da camada da ionosfera na região

Pouco se fala da existência de camadas não visíveis ao redor da terra e suas importantes influências sobre o planeta terra, principalmente nos sinais irradiados por transimssões e recepções, entre as quais, destacamos como registro na coluna RELATOS & NOTÍCIAS, a camada da ionosfera que normalmente se localiza a uma distância compreendida entre 50 a 1000 quilômetros de altitude, ao redor do globo terrestre.
Na localidade denominada Colônia Dona Júlia, entre a divisa de União da Vitória/PR e Paula Freitas/PR, existe uma grande área de terras pertencentes a Força Aérea Brasileira que instalou e utilizou para pesquisas desta natureza, o denominado Campo de Pesquisas “Major Edsel de Freitas Coutinho”, tendo em sua administração direta, integrantes da Aeronáutica de São José dos Campos/SP. Nas décadas de 70 a 80, alguns pesquisadores da referida Força Aérea Brasiliera tiveram seus áureos momentos de pesquisas para coleta de dados, tanto brasileiros civis e militares em importantes parcerias com outros professores e físicos americanos, chilenos entre outros, empenhados nas análises desta camada, do espéctro ionosférico, onde normalmente segundo os cientistas está localizada entre 50 a 1000 kilômetros de altura, ao redor da terra, e estranhamente em períodos incertos, na região já citada, ocorrem atípicas quedas em sua altitude, em torno de uns 20 quilômetros, despertando a curiosidade de muito físicos e pesquisadores também de outros países.
No Campo de Pesquisas “Major Edsel de Freitas Coutinho”, mesmo destativado é possível visualizar ao longe, uma torre de transmissão (desativada) com exatos 130 metros de altura, pesando uns 12.500 kg, e, totalmente isolada do solo, pois está afixada sobre dois grandes isoladores porcelânicos especialmente construídos para suportar todo o peso da estrutura, inclusive os próprios estaios (tambem isolados), quando estava em funcionamento eram irradiante. No local, os equipamentos eram acondicionados num trayller (foto), onde ficava o transmissor de VLF, composto de outros equipamentos de alta tecnologia, como sintetizadores de frequencia, câmara de rubidium com clock de precisão atômica, fonte de alta voltagem para alimentação, válvula de cerâmica (Tryratron) de alto poder de transmissão, entre outros para transmissão dos sinais até a ionosfera que refletia (espelhamento), para serem captados em outra estação de rastreio, localizada em Gaspar/SC, gerando os dados destes períodos de funcionamento.
Lamentavelmente, hoje é possível verificar que tudo está desativado, não sendo possível obter nenhuma informação, inclusive com os portões permanentemente fechados. Informações antigas, deram conta de que o referido Campo de Pesquisas, passou por períodos de manutenção por Instituições de Ensino Superior, como a Faculdade Espírita de Curitiba/PR, entre outras entidades educacionais.
Segundo o prefeito de Paula Freitas/PR, Valdemar Capeleti, ele ao tomar conhecimento deste projeto da aeronáutica que está desativado, sugeriu recentemente em reuniões AMSULPAR, a possibilidade da utilização do local para a instalação do presídio regional, haja vista a existência de recursos reservados para esta efetivação.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...