Terror na Ópera, de Dario Argento (1987).

 

Gênero: Terror, Suspense, Giallo.

Nota no IMDB: 7,1/10

Nesse grande filme do diretor italiano Dario Argento, a trama se desenvolve na estreia de uma ópera na Itália. A estrela da ópera, a impaciente Cercova, sofre um acidente e precisa ser substituída pela soprano protagonista do filme, Betty, que interpreta Lady Macbeth. A primeira apresentação da ópera, apesar da superstição de que Macbeth é ópera amaldiçoada, é um sucesso e todos aceitam bem a performance de Betty. No entanto, ocorrem coisas estranhas longe dos palcos: uma pessoa é assassinada e equipamento de iluminação cai do alto do teatro perto do público. A partir daí, começa o suspense que envolve o decorrer da história.

O diretor da ópera, Marco, é um antigo diretor de filmes de terror, assim como Argento, e parece ficar bastante interessado nos fatos que vêm ocorrendo. Muitos atribuem o assassinato à maldição da ópera, mas o que se percebe é que há uma perseguição à soprano Betty, peça principal da ópera. A perseguição rende mais assassinatos misteriosos que o criminoso faz questão de forçar a soprano a assistir, mas que não passam nem perto de revelar a verdadeira identidade do assassino.

A tensão produzida pela perseguição tem o poder de prender o telespectador ao filme. A película inicia um pouco lenta, adquirindo mais velocidade e energia a partir da primeira meia-hora. Conforme aumenta a interação com o assassino e o mistério de sua identidade, a trama se torna mais atrativa. Dario Argento soube criar cenas incríveis de morte, apesar de ter aquela cor de sangue não tão realista do cinema da época.

Argento baseou o filme na sua experiência dirigindo uma produção de Macbeth que falhou, sendo que o personagem Marco, o diretor da ópera, foi baseado no próprio Argento. Inclusive, no filme, há uma cena em que o assassino coloca pequenos pregos presos abaixo do olho da pessoa para que ela seja obrigada a assistir ao assassinato; isso viria de uma brincadeira de Argento, que dizia se incomodar quando as pessoas olhavam para outro lado ou fechavam os olhos durante as cenas assustadoras dos seus filmes. O filme foi um dos maiores sucessos comerciais de Argento, embora não tenha deixado um legado tão forte como outros dele.

Em questão de estilo, bom, este giallo (gênero de suspense policial italiano) é, nitidamente, um filme de Argento. Suas marcas estão todas ali: uma trilha sonora marcante, cores destacadas e aquele clima aterrador noturno de perseguição por parte de um assassino misterioso, tudo está presente. A maior parte da trilha sonora é composta por ópera, que tem como contraponto em algumas cenas de perseguição trechos de heavy metal. Parte da trilha foi composta pelo aclamado Brian Eno. Ainda falando da música, um toque interessante é que, quando toca a ópera, ela ressoa bem com os ambientes das salas, dos prédios, todos estes bastante clássicos, cheios de estátuas e detalhes de refinado gosto.

Visualmente, como mencionado, as cores clássicas de Argento dão as caras. Apesar de essas cores neon não surgirem tão evidentes como em Suspiria (1977), elas estão lá e são um bom adicional para alguns cenários mais escuros, criando um ambiente bem no estilo pelo qual o diretor ficou conhecido. Há tomadas em que o movimento de câmera é magistral, perfeito; o enquadre é sublime, a música apropriada e as luzes e cores mais do que adequadas para proporcionar o clima perseguido por esse tipo de obra, um clima que combina fatores de terror e de deslocamento, estranhamento estético. Também há um uso interessante de animais. Assim como em Suspiria, Phenomena e Inferno, filmes anteriores ao Opera, os animais protagonizam alguns momentos do filme. Se em Suspiria havia um cão, em Phenomena insetos e em Inferno ratos, em Opera são os corvos que cumprem muito bem o papel de encarnar um aspecto instintivo sinistro e devorador da natureza.

Apesar de um pouco lento no começo, o filme se torna, a meu ver, um grande giallo, repleto de suspense e tensão. As atuações, em geral, não se destacam muito, mas também não prejudicam o andamento do filme. Algumas cenas são fortes, agonizantes, o que é um ponto positivo para o gênero. Filme bastante recomendado a quem gosta de mistério, assassinos e tensão de perseguição.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...