Uniguaçu comemora 15 anos da festa a fantasia

A 15ª edição da festa será realizada na sexta-feira, 15 de abril, no Wooden Hall

uniguiçu_festafantasiaFalar sobre a história da festa a fantasia da Uniguaçu gera um clima nostálgico nos corredores da instituição. São lembranças sobre o crescimento de uma faculdade que comemora 15 anos de existência, com mais de 4 mil acadêmicos e momentos que vem à tona, como motivação para o esquenta da 15ª edição da festa que será realizada nessa sexta-feira, 15 de abril, no clube Wooden Hall, em União da Vitória.

Para quem acompanhou a evolução da festa que já faz parte do calendário acadêmico, recordar da primeira organização é emocionante. “É engraçado lembrar que a primeira festa foi dentro da faculdade, onde hoje é a clínica de Fisioterapia. Foi quando começamos com dois cursos, Sistemas de Informação e Administração. Já em janeiro tivemos vestibular para Educação Física, Enfermagem e Farmácia. Tivemos aquele ‘boom’. Tínhamos 70 veteranos e um pouco mais de 100 calouros. Então precisávamos fazer acontecer”, relembra Vilta Quitério de Souza, coordenadora acadêmica.

A primeira festa, em 2001, foi bem diferente do que acontece atualmente. Foi artesanal. Os próprios colaboradores organizaram e decoraram o ambiente, pintaram as máscaras e criaram suas fantasias. “Na época, os alunos de Administração (Marketing e Agronegócios) cuidavam do bar. Foi uma coisa bem modesta. E a primeira dúvida surgiu: ‘será que vai ter gente? ’. Era a primeira festa e nós precisávamos convencer as pessoas a usarem fantasia”, comenta a coordenadora acadêmica.

No primeiro momento, não houve apresentações de dança dos calouros. Os professores e direção se vestiram de palhaços para agitar os acadêmicos para a grande confraternização. Em 2003, como o número de alunos e professores dobrou, a festa passou a ser realizada na quadra de esportes da Uniguaçu. Os colaboradores se envolveram novamente com organização, decoração e segurança dos acadêmicos. “A partir de então, os professores iam para as salas de aula fantasiados, motivando os alunos e nós fomos para a comunidade convidar as pessoas, pois a quadra era grande e cabia muita gente. Íamos nos colégios, mas sempre com o foco de receber os calouros que não conheciam a instituição, não conheciam a vida acadêmica”, complementa Vilta.

Desde o seu início, a Festa a Fantasia da Uniguaçu, também conhecida como festa dos calouros, teve como o objetivo a integração entre calouros, veteranos e instituição, focando sempre o lado social, sendo que o convite desde o começo foi trocado por um quilo de alimento.

A troca do convite pelo alimento

Com o fundo social, a festa, desde o seu início tem o objetivo de arrecadar alimentos não perecíveis, que depois são entregues às famílias carentes e entidades cadastradas no Núcleo Social da Uniguaçu. As doações são entregues em União da Vitória e região. “A parte legal é que o aluno não participa só da arrecadação do alimento. Ele ajuda a separar e distribuir, para que ele possa conhecer a realidade da onde vai trabalhar, porque é a comunidade que vai recebê-lo como profissional”, ressalta a coordenadora acadêmica.

Em 2015, foram arrecadadas cerca de seis toneladas de alimentos. Coincidindo com a data da festa, na época, a cidade de Xanxerê (SC), tinha sido devastada por tornados e metade dos alimentos recolhidos pela Festa a Fantasia foram encaminhados como forma de ajuda para o município destruído.

A cada ano que passa, procura-se agregar mais entidades no cadastro, para que todos possam se beneficiar com a festa a fantasia. O fundo solidário é o grande motivador da confraternização anual. Quanto mais pessoas festejarem, mais pessoas vão se receber os alimentos arrecadados. “A expectativa desse ano é que mais de 5 mil pessoas participem e que a gente consiga a arrecadação de alimentos para atender todas as entidades da cidade e região”, afirma a Diretora Geral da Uniguaçu, Marta Borges Maia.

A Uniguaçu esteve com pontos de coletas durante uma semana e meia nos três prédios da faculdade: Sede, Francisco Cléve e CTU. Durante manhã tarde e noite, acadêmicos e comunidade podiam trocar seus alimentos por convites. Quem não conseguiu fazer a troca, ainda poderá trocar na recepção da faculdade ou no dia da festa. O que vale é a participação de todos.

Um dos grandes motivos pela grande coleta de alimentos é que o público da festa é rotativo. “Quem vem de fora, o ônibus vai embora à 1h. Por isso, conseguimos arrecadar tantos alimentos”, comenta a coordenadora acadêmica. Além das dependências do clube, sua capacidade é estendida com tendas no pátio livre.

Personagens e fantasias: hey calourada

Lembrar de todas as fantasias que marcaram as apresentações do professor Edson e do professor Ivan Hennrich no palco, durante a festa a fantasia é uma tarefa meio difícil. São 15 anos caracterizando-se com as mais diferentes celebridades atuais. Entre as mais comentadas até hoje estão: Pit Bicha e Pit Bitoca (personagens do Tom Calvalcante), Schreck e Fiona, Anitta, Ivete Sangalo e Claudia Leite, entre outros tantos que fizeram sucesso animando os acadêmicos.

O motivo de a festa ser a fantasia é a motivação para que a confraternização fique marcada na lembrança dos acadêmicos, não como uma festa normal, um baile de formatura ou uma balada, mas, sim, uma festa diferente e que haja empolgação para a preparação da fantasia. “Quando pensamos em criar a festa para os alunos, queríamos evitar que houvesse trote. Queríamos algo mais social, mas tinha que ter um chamariz. “Vamos fazer uma festa a fantasia! Mas na época, a festa era uma novidade, a festa a fantasia era mais novidade ainda. Então fizemos os professores e direção fantasiados”, conta o Superintende da Uniguaçu, Edson Aires da Silva.

Sendo um dos pontos marcantes e já esperados na festa, a apresentação dos professores Edson e Ivan Hennrich no palco, cria uma expectativa no público, que espera pela fantasia da vez. “É sempre uma surpresa, uma expectativa que todo ano se cria. Então todo ano, se faz esse esquenta para motivar a galera na festa. E já tivemos bons personagens, os alunos acabaram gostando do negócio e a cada ano, a gente vai aprimorando. Os alunos se sentem mais a vontade para irem fantasiados, para participarem da dança. Depois fazemos a socialização e todo mundo se integra, esse é o principal”, comenta o Superintendente.

A preparação para o personagem que entra em cena não tem muito planejamento. As fantasias são decididas quase nos últimos minutos perto do início da festa e as histórias são diversas. “Quando eu me fantasiei de Schreck, eu precisava raspar o cabelo, mas isso só podia ser após as 19h, para a grande fantasia. Aí, eu fui ao salão e eles perguntaram: como você vai cortar o cabelo? Eu disse: raspado. Eles: rapar? Eu: sim, no zero. Todo mundo fico espantado, mas colaboraram. Nós tínhamos até uma maquiadora que vinha aqui, mas tudo era meio rápido e algumas pessoas nos ajudavam a Dagmar e a Vilta”, relembra o professor Ivan Hennrich.

Outros pontos chaves na festa são as danças dos calouros e o concurso de fantasias. As duas atividades foram introduzidas à programação do evento para motivar os acadêmicos a participar. Os calouros são divididos em grupos e cria-se uma expectativa pela melhor apresentação. Funcionários e professores também entram na brincadeira e a competição segue para o concurso da melhor fantasia. As fantasias mais criativas são fotografadas e a votação é realizada por número de likes, no Facebook da instituição.

Durante a apresentação da dupla no palco, dois jargões ganharam destaque durante esses anos de festa: Hey, calourada, Hey, calourada! e “aha, ahu, a Uniguaçu é nossa”. Os gritos de guerra são puxados pelo professor Ivan e o público entra na onda para acompanhar a agitação da festa. “Nós temos essa empolgação para subir no palco. Começamos a sentir o público e isso é muito motivante”, ressalta o professor Ivan Hennrich.

A fantasia desse ano permanece em segredo, mas os professores garantem que já está tudo organizado para a grande festa em cima do palco.

15 anos de festa

Já foram arrecadadas mais de quatro toneladas de alimentos, mas a população ainda pode fazer sua troca na recepção da faculdade ou no dia da festa. A confraternização será animada pela banda show New York que já acompanha o evento durante esses anos e todos estão convidados a participar.

Na sexta-feira, 15 de abril, no Wooden Hall, todos fantasiados a partir das 19h30, estarão sendo recepcionados para a festa que já consolidou seu nome na história de União da Vitória, como a maior festa universitária da região. “Eu percebo que o aluno faz vestibular já pensando na festa dos calouros. A vida acadêmica é um momento impar, então ele tem que viver aquele momento. Você pode fazer três graduações, mas cada uma vai ser diferente. Então que nessa graduação, você consiga lembrar-se das coisas boas. E lá se vão 15 anos de festa”, finaliza a coordenadora acadêmica.

1 Comment on Uniguaçu comemora 15 anos da festa a fantasia

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Carregando...